sexta-feira, 10 de junho de 2011

# - Harakiri

Da tua espada fui a vítima
e não a sonhada bainha...
No teu Império, rainha desnuda,
mendiga desprezada...
No infinito dos teus olhos um Não.

...Eu, Lua -morta sem crescente,
Sol sem nascente,
poente em Marte...
Salomé decapitada após a dança
pelo golpe sem misericórdia.

-Inventei você no Amor e,
sem contar com o perigo,
sangrei em dores no mortal combate...

e agora ,  afogado nas amargas lágrimas,
-entrego a ti- negro perdido! estes restos mortais sem corpo e sem alma.

percival rorato
                                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário